quinta-feira, 12 de junho de 2008

Segundo andar: Tango (parte II)

Segundo andar: Tango (parte II). Compasso 4 x 4 (quaternário). Depois de Gardel o tango começou a tomar proporções mais profissionais, tanto na música quanto na dança. Surgiram as grandes orquestras, os grandes nomes, os dançarinos profissionais. O tango ganhou o mundo e conquistou platéias das mais variadas. O bandoneón já fazia parte fundamental de seus arranjos, tornendo-se o instrumento por esselência dessa música. Os bailes já tomavam os salões da sociedade. Os passos de dança começavam a tomar forma e a fazerem parte de uma coreografia bem peculiar.

São dessa nova leva, a chamada Guardia Nueva (Nova Guarda) músicos como Di Sarli, Fresedo, Canaro, D'Arienzo, De Angelis, Anibal Troilo e outros tantos.

Essa maré só mudaria com um rapaz, filho de imigrantes italianos, que idolatrava Gardel, aprendeu música na Argentina e na França e fez parte da orquestra típica de Troilo: Astor Piazzolla. Mas essa é outra estória.

Exemplo de tango: poderia dar muitos, pois o assunto é demasiadamente rico, mas optei pelo tango mais tocado, conhecido e cheio de versões que existe, La cumparsita, do uruguaio Gerardo Matos Rodriguez, bailado por Gustavo Naveira e Gisele Anne.


video

Nenhum comentário: