sexta-feira, 20 de junho de 2008

Así se baila el tango? (A postura)






Muito se fala na 'postura do tango' principalmente quando se tem intensões didáticas. Certo, a postura é fundamental, mas para mim há outra coisa que deve vir junto, ou até antes da postura - aquela em leve contrapeso. Acredito que nunca, nunca mesmo, em tempo algum deve-se esquecer o orgânico do corpo.

Minha professora de cinesiologia da faculdade de dança dizia que o corpo humano está mais para árvore que para poste. Ou seja, não somos retos, somos ondulatórios. Nossa coluna vertebral é como uma cobra, foi feita para ondular, para torcer e para espiralar.

Sinto em muitos homens e mulheres, desde novatos até profissionais, uma rigidez que destoa da natureza humana, como se o tango lhe colocasse uma armadura.

Pois para mim, a experiência diz outra coisa: solte-se, ponha o mar no corpo, mareie (Isso me lembra Isadora Duncan), vente, invente, siga o fluxo do movimento, sinta o corpo seu e do outro, nunca se feche, desenhe...

Se não fizermos poesia com nosso corpo ao dançar, então não há porque dançar...

Um comentário:

Francisco Silva disse...

É ótimo quando alguém nos diz uma coisa muito necessária de uma forma muito simples. Para mim, que estou em busca da dança perdida, foi providencial.