terça-feira, 23 de junho de 2009

Milongas vazias

Tem sido cada vez mais difícil manter uma milonga - mesmo que mensal. Eu digo isso, e vários amigos meus que organizam baile, em diversos estados brasileiros dizem o mesmo. Mas por que será?

Selecionei algumas opções, para ver se meus caros acompanhadores me ajudam a desvendar esse mistério.

a) É porque dá um trabalhão, e no final das contas poucos vêem isso

b) Porque dá uma preguiiiiiiiça sair de casa...

c) Porque as milongas estão caras e o preço dos comes e bebes de um baile estão pela hora da morte

d) As seleções musicais são de doer

e) O salão é ruim

f) O atendimento é ruim

g) Tango é um ritmo desanimado

h) É dia de jogo!

i) Não tem com quem dançar


Quem quiser sugerir outros motivos, fique à vontade, afinal, a milonga é de vocês.


.:.:.:.:.:.:.:.:.:.:.:.:.

8 comentários:

Anônimo disse...

i i i i i i i i i i i i i
Mil vezes i. Não tem com quem dançar na milonga. Na única vez que eu me aventurei na Milonga do Milo em Belo Horizonte NINGUÉM chegou perto da minha mesa, e éramos duas senhoritas sozinhas numa mesa. Ora bolas, então só se dança com amiguinhos? Se ficamos afastados por um breve tempo do "movimento", não há ambiente de acolhida no retorno? Só as "deusas" merecem uma tanda? Não tem mais cavalheiros "livres" só alugados? Sei lá. Acho que os comes e bebes são até mais baratos que em outros estabelecimentos. Mas realmente o futebol concorre com o baile, e algumas seleções musicais são incompreendidas (muito mudernas).#prontofalei. Mwack, Meilin - RJ

Mariella ("Ceiça") disse...

As milongas estão ficando caras? Sim, mas isto não teria a menor importância se a gente se acabasse de tanto dançar! É caro pagar R$ 20,00 ou R$ 30,00 para ficar sentada, vendo os casais "fechados" dançando e o salão polvilhado de dançarinos de aluguel. A gente se produz, sai de casa (que às vezes é longe...), paga entrada, consome alguma coisa, faz aula, busca se aperfeiçoar, gasta nisso, gasta naquilo... e aí chega no baile e dança só um tango,ou dois vá lá que seja, muitas vezes com aquele principiante (nada contra eles... mas dançar com eles aí é dose, né?). E não me venham dizer que a dama é que é ruim! Sei que não faço parte do time das "deusas", mas eu não danço mal de jeito nenhum! Além do mais, a gente atura cavalheiro que dança mal e se a acha o máximo, não custa nada os cavalheiros darem a sua cota de participação na democracia do baile...
Bjs, Mariella (a "Ceiça") - RJ

Anônimo disse...

- porque o mercado de tango é pequeno........ e sendo pequeno existe um nucleo de "mesmos habitues" frequentadores. Se eles forem a todas as milongas e somar ingresso + gasto basico, no final do mes da um valor razoavel...
raciocinio valido para SP e Rio, onde realmente há milongas diversas)
Em Curitiba acontece o mesmo, e existe apenas 2 milongas semanais....

- porque existe desunião...
alguns não frequentam a milnga xxxx, organizada por yyyyyy.

- porque o publico de academia não é "milongueiro"
Ass. Olde/Curitiba www.arenatango.com

Raquel (Rio Tango) disse...

- Uma sugestão: Para concorrer com o "aluguel de cavalheiro", seria interessante que os digníssimos organizadores de milongas contratassem (a preço de mercado) esses mesmos bons dançarinos para bailar com as damas desacompanhadas. Haveria um "equilíbrio de forças" e a milonga atrairia mais público! É um caso para se pensar...

Julita disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Julita disse...

Um pedido de reflexão.

O amor vem antes. Difundir o Tango é uma tarefa difícil. Aqui em Brasília, por exemplo, há apenas três bailes por mês. Ou seja, um por semana. Vitória para nós que apreciamos a prática dessa lúdica dança e até pouco tempo, só dispúnhamos de um baile por mês para praticar. Não se trata apenas de insistência. Diferentemente do que se imagina, os professores que dedicam tempo e carinho na organização dos bailes não lucram financeiramente. O amor ao Tango vem antes. Impossível também exigir que esses mesmos organizadores de milongas obriguem aos poucos cavalheiros a dançar com todas as mulheres – o número é inversamente desproporcional.
Enquanto o vírus H1N1 gera uma pandemia, o vírus do amor ao Tango anda singelo e inativo. Tão forte é que o Governo Federal faz um alerta aos brasileiros a cancelarem viagens a vizinha Argentina. Sugiro um workshop: “Como se comportar em um baile?” Os tempos são outros. A emancipação feminina trouxe conseqüências desagradáveis para nós em alguns aspectos. Como me avó diz: “Não se fabricam mais homens como antigamente. Falta cavalherismo”. Deixo aqui um registro às mulheres mais experientes. Nós que somos um pouco mais jovens também sofremos com o mesmo mal.Já fiquei boa parte do baile sentada e já levei não ao convidar os homens para dançar. Será que a culpa é das mulheres? Peço que um homem responda. Julita Kissa, 22 anos, jornalista e admiradora compulsiva do Tango.

Anônimo disse...

Independentemente de qualquer outro motivo, o que me AFASTOU das milongas eu digo a quem qiser ouvir:
Cansei de ser ENGANADO. Pago por "baile de TANGO" e quando chgo recebo baile de dança de salão com tango, com a desculpa de que tem que toca senão não atrai publico. Minha opinião: Baile de tango é pra tocar TANGO (valse e milonga), ou então não chame de baile de tango. Que o organizador tenha HONESTIDADE e diga no flyer que o baile é de tango e outs ritmos....
Assim eu nem perco meu tempo indo a este tipo de evento e "pagando pra ver e ouvir". Vai qem quer...

Assindo: Jairo (Rio de Janeiro)

Anônimo disse...

A maior parte dos dançarinos, quando melhoram um pouquinho a sua dança, só querem dançar com as "profissionais" ou com as "novatas", estas ultimas nem precisam bailar bem.Não tem graça nenhuma ir a uma Milonga, pagar a entrada, que por sinal é bastante alta pelo que oferecem, gastar gazolina, roupas, perfumes, etc. e ficar assistindo o espetaculo de ver "Professor" exibindo passos no salão com as "profissionais", enquanto nós, que os sustentamos fazendo classes e contribuindo para que haja essas milongas, permanecemos sentadas. Acontece isso também até nas Praticas de Tango. Por que não dão essa oportunidade às damas para praticarem ?Os que mais sabem bailar ajudando os que sabem menos, inclusive as "professoras" que aparecem para concorrer com as alunas, indo bailar com os melhores dançarinos, por que elas não bailam com os aprendizes? Assim poderia melhorar o nivel de todos. Se todos os dançarinos trocassem de damas e não ficassem o tempo todo bailando sempre com as mesmas, haveria um cambio de "parejas" e todos melhorariam muito o seu baile. Isso vale também para as "deusas" que só querem bailar com quem sabe muito.
É bom que pensem nisso...